Municípios

Presidente da AMA destaca interiorização das indústrias


Fonte: Assessoria

22/01/2020 15h54

Doze empresas passaram a contar com os benefícios do Programa de Desenvolvimento Integrado do Estado de Alagoas (Prodesin). O governador Renan Filho assinou, nesta segunda-feira (20), os decretos que concedem incentivos fiscais e/ou locacionais a esses empreendimentos. A presidente da Associação dos Municípios Alagoanos (AMA), prefeita Pauline Pereira, acompanhou a solenidade e destacou a importância do incentivo para interiorização das indústrias nos municípios.

“Sabemos que o grande impasse são os impostos que cada empresário precisa pagar pra se manter e esse incentivo através do Prodesin só vem a articular e atrair mais empresários para Alagoas, que vem crescendo bastante nesse sentido, na contramão do que vem acontecendo no país. Estamos otimistas que outras empresas se consolidem no nosso estado”, afirmou.

Além das 12 empresas que passaram a contar com os benefícios do Prodesin, uma outra teve os incentivos prorrogados, também por decreto governamental. Juntas, elas devem gerar cerca de quatro mil empregos e injetar mais de R$172 milhões na economia alagoana, beneficiando, diretamente, os municípios de Maceió, Rio Largo, Coruripe, Arapiraca, Marechal Deodoro e Teotônio Vilela.

São empreendimentos que atuam nos ramos da hotelaria, da indústria alimentícia, da construção civil, dentre outros segmentos. Renan Filho afirmou que a política de incentivos fiscais de Alagoas é uma das mais arrojadas do Brasil.

“Nosso incentivo é maior do que o de outros Estados para atrair negócios, por isso Alagoas consegue ser referência em hotelaria, em centros de distribuição, na cadeia produtiva da química e do plástico. Vamos seguir trabalhando para que a gente tenha segmentos em que o estado se destaque para gerar ainda mais empregos aos alagoanos”, declarou o governador.

A solenidade foi realizada no Salão de Despachos do Palácio República dos Palmares e reuniu representantes do setor produtivo alagoano, prefeitos, deputados estaduais, vereadores por Maceió, dentre outras autoridades.

A Cooperativa Agroindustrial dos Produtores da Colônia Pindorama é uma das 12 empresas beneficiadas com o incentivo fiscal concedido pelo Governo de Alagoas. O presidente da Pindorama, Klécio Santos, disse que o benefício é fundamental porque torna os empreendimentos instalados em Alagoas mais competitivos.

Ele citou que a Cooperativa já conta com as vantagens do Prodesin na produção de sucos, no beneficiamento do coco e que agora passa a contar com o incentivo fiscal no processamento do álcool em gel. “Esse incentivo é importante não só para a Pindorama, mas para todas as indústrias que estão buscando crescer, avançar, se diversificar. O Prodesin é o grande instrumento, a grande ferramenta para isso”, enfatizou Santos.

Em fase de instalação em Teotônio Vilela, a Amafil Indústria de Comércio de Alimentos também passa a contar com os incentivos concedidos pelo Governo de Alagoas e se instalou no município após participação e negociação do prefeito Joãozinho Pereira. “O Prodesin é bom para as empresas que já estão aqui em Alagoas e para as novas, que chegam. Isso é fundamental para a geração de empregos e a dinamização da nossa atividade econômica”, avaliou Renan Filho.

Reunião do Conedes

Seguindo com a temática de incentivos fiscais e locacionais concedidos pelo Governo de Alagoas, o Conselho de Desenvolvimento Econômico (Conedes) aprovou, nesta segunda-feira (20), benefícios para mais cinco empreendimentos.
No total, serão investidos mais de R$ 68,5 milhões na economia estadual com geração de cerca de 220 postos de trabalho diretos. Foram contempladas as empresas IBR Hotelaria, É Leve Indústria e Comércio de Águas, Ecoambiental, Alagoas Ambiental e F7 Indústria de Serviços e Embalagens.

Essa foi a primeira reunião ano e também a primeira com a participação efetiva da presidente Pauline Pereira, que recebeu às boas-vindas do presidente do Conselho, o secretário Rafael Brito e dos demais conselheiros. “Quero fazer parte do grupo de trabalho para interiorização dos polos industriais, já que os prefeitos são cobrados pela geração de emprego e renda nessa área”, afirmou a prefeita.



Compartilhe