Municípios

Denúncia: servidores de Belo Monte sofrem perseguição política


Redação

25/02/2021 15h33

Os servidores públicos da Prefeitura de Belo Monte, no sertão alagoano, denunciam a perseguição política que estão sofrendo do novo prefeito. Daminho (PTB) assumiu o cargo no dia 1º de janeiro de 2021, após vencer a eleição com 55,75% dos votos. 

De acordo com os funcionários públicos, que chegaram a procurar a equipe de reportagem do Jornal de Alagoas, a perseguição ocorre devido a suas posições partidárias na última eleição. Dalminho disputou contra o candidato Toinho Cintra (MDB). 

O atual gestor da cidade tem realizado as chamadas "transferências punitivas" dos servidores. Muitos estão tendo que ir trabalhar em locais distante de onde moram, muitos deles indo para a Zona Rural. "Sou servidora pública de Belo Monte e fui transferida pra Barra do Ipanema. É tenho um filho especial com 34 anos, não tenho como me afastar dele para exercer minha função na creche", registrou por meio de rede social uma funcionária da Prefeitura de Belo Monte.

Ao menos 12 funcionários de secretarias distintas estão se organizando para entrar com uma ação formal de denúncia na Defensoria Pública e no Ministério Público Estadual. 

"Gente, vocês não fazem ideia de como está sendo difícil para gente essa situação. Em pleno século XXI, nossa sociedade ainda ter que conviver com essa política arcaica utrapassada opressora que fere nossa liberdade de escolha. Peço às autoridades do nosso estado que assegurem nossos direitos, que nos ajudem nessa perseguição política arbitrária e punitiva. Nossa sociedade não pode aceitar isso mais. Confiamos no Ministério Público e na imprenssa e vamos vencer essa batalba garantindo a nossa liberdade de escolha para votar em quem achar que é o melhor para nossa cidade, para nossa Alagoas e para o nosso paí", desabafa outro servidor público numa rede social. 



Compartilhe