Nacional

Bolsonaro fica de fora do compromisso para reverter a perda da biodiversidade


Fonte: Novo Extra

16/10/2020 17h30

Apesar do aumento das queimadas e do desmatamento nos biomas de todo o País, o governo de Jair Bolsonaro recusou-se a assinar um compromisso voluntário global para reverter a perda da biodiversidade até 2030. De acordo com reportagem do G1, o documento, intitulado Compromisso dos Líderes pela Natureza, foi assinado em setembro por chefes de estados e lideranças de 77 países.

Entre os países que assinaram a carta estão vizinhos do Brasil como o Peru, Colômbia e Bolívia, além da Alemanha, França e Nova Zelândia, entre outros. Além do governo de Jair Bolsonaro, líderes dos Estados Unidos, Austrália, China, Rússia e Índia também se recusaram a assinar o documento.

A carta chama atenção para dez pontos cruciais para reverter a perda da biodiversidade e em prol do meio ambiente como o fim dos crimes ambientais, redução da poluição, eliminação do descarte de resíduos plásticos nos oceanos e o fortalecimento da chamada economia verde e sustentável.

“A ciência mostra claramente que a perda de biodiversidade, a degradação da terra e dos oceanos, poluição, esgotamento de recursos e mudanças climáticas estão se acelerando a uma taxa sem precedentes [...] A menos que esse cenário seja interrompido e revertido com efeito imediato, ele causará danos significativos à resiliência e estabilidade econômica, social e política global”, ressalta um trecho do documento.

Entre os pontos levantados pelo compromisso, estão: Acabar com os crimes ambientais; investimento em uma recuperação econômica "verde" e sustentável pós-pandemia; diminuir a poluição do ar, terra, solo, água doce; eliminar o descarte de plástico nos oceanos.



Compartilhe