Negócios

“Ou abre agora ou abre dia primeiro”, diz Renan Filho


Redação
Fonte: Jornal de Alagoas com Gazetaweb - Blog do Edivaldo Junior

20/06/2020 00h00

O governador de Alagoas só vai decidir pelo início da flexibilização ou reabertura dos setores da economia que continuam fechados no Estado na próxima segunda-feira (22). Até lá, Renan Filho diz que vai ouvir o prefeito de Maceió,  Rui Palmeira, além de representantes de instituições do setor público e do setor privado, além de especialistas da sáude, para chuegar a decisão.

O setor produtivo de Alagoas cobra a retomada ou flexibilização dos setores da economia que seguem fechados desde 20 de março. Os infectologistas e outros profissionais da área de saúde, pendem “mais tempo”.

O atual decreto de situação de emergência, em vigor até o próximo dia 22, será renovado. A expectativa agora é saber se as atuais medidas de isolamento social serão mantidas ou se governo, dará início à flexibilização da economia. A decisão ainda não foi tomada. O martelo só será batido mesmo na segunda-feira. 

O governador Renan Filho diz que existe sim uma tendência para renovar o decreto do jeito que está. Mas admite que pode iniciar já a flexibilização em nova estratégia. A retomada começaria por Maceió, onde os novos casos de Covid-19 estão caindo. E rapidamente.

Renan Filho respondeu a algumas perguntas por aplicativo. Ao ser questionado se as medidas medidas serão prorrogadas sem flexibilização, o governador diz que vai avaliar: “Mas essa é a tendência. Já há redução de indicadores importantes na capital. Mas ainda precisamos de mais uns dias para consolidar.”

Sobre a possibilidade de liberar o flexibilizar a economia por zonas ou regiões, começando por Maceió, onde os casos de Covid-19 parecem sob controle, Renan Filho é taxatativo: “Não estão sob controle. Estão caindo. Mas estamos avaliando. Como os pacientes de UTI precisam de muitos dias, ainda há muitos leitos ocupados. Fico preocupado em abrir perto da capacidade máxima, termos uma elevação da demanda e colapsarmos, o que não ocorreu até agora.”, aponta o governador.

O que pesará na decisão, segundo Renan Filho, será a disponibilidade de UTIs para Covid-19, cuja taxa de ocupação no Estado está próxima dos 80%. Ele admite que não existem mais filas para UTIS, mas levará em consideração o pedido dos diretores dos hospitais de Maceió: “eles pedem mais uns dias, para reduzir um pouco mais a ocupação. A preocupação é que muitos pacientes, de cidades próximas, vem para a capital. O objetivo é evitar o colapso nos leitos de UTI”, pondera.

Outro argumento a favor da não liberação foi apresentado pelo Ministério Público de Alagoas durante reunião do governador com representantes do setor público e privado.

“O MP tem a preocupação que a reabertura às vésperas do São João poderá provocar muita aglomeração”, afirma Renan Filho. Ainda assim, o governador não descartou a possibilidade de abrir a economia a partir do dia 23, pelo menos em Maceió. “Vou ouvir o Rui (Rui Palmeira, prefeito da capital) no final de semana. Ver o que ele tá pensando para Maceió. Pernambuco abriu só na capital. Podemos fazer isso também.”

Mas seja qual for a decisão, a reabertura já está próxima, garante Renan Filho. “Já está perto. Ou abre agora ou abre dia primeiro”, numa referência de que o atual decreto, com ou sem flexibilização vai de 23 a 30 de junho. O próximo será editado a partir de primeiro de julho.

Saiba mais: Governo analisa indicadores da pandemia para definir novo decreto

 



Compartilhe