Política

Uma aproximação inesperada pode mudar rumos da eleição em Maceió


Fonte: Blog Edivaldo Júnior

09/02/2020 14h17

Na política, uma porta se fecha e muitas vezes abre-se outra ou outras. No jogo para a escolher o futuro prefeito de Maceió – etapa estratégica para as eleições de governador, deputados e senador de 2022 em Alagoas – os principais grupos estaduais estão em fase de realinhamento.

O PSDB, do senador Rodrigo Cunha, sinaliza claramente que não vai lançar um nome à sucessão do tucano Rui Palmeira. A preferência explícita por João Henrique Caldas (PSB) afasta o atual prefeito da capital do “ninho” e aponta para um aliança de dois a três partidos.

O grupo de Renan Filho (MDB) segue à espera do sim de Alfredo Gaspar de Mendonça e pode lançar uma frente com MDB, PL, PTB e PSD, entre outras legendas.

Um terceiro grupo que une setores da Câmara de Vereadores de Maceió, da Assembleia Legislativa de Alagoas e da bancada federal, deve confirmar o nome do deputado estadual Davi Davino Filho (PP) e teria participação do Solidariedade de o Republicanos.

Ronaldo Lessa (PDT), num tom mas à esquerda, pode marchar com Heloísa Helena (REDE).

PT (Ricardo Barbosa), Avante (Ricardo Santa Ritta Filho), PCdoB (Cícero Filho), CD (Cícero Almeida), PSOL (Basile Christopoulos) e Flávio Moreno (PSL) seguem por enquanto em voos solitários.

Em meio a esse cenário, Rui Palmeira, considerado peça importante no tabuleiro eleitoral, está em busca de alternativas para ter um candidato para chamar de seu. Entre as opções, já postas, estão Ronaldo Lessa (PDT) e Davi Davino Filho (PP).

Uma nova via, no entanto, teria sido aberta para Rui Palmeira. Ele andou conversando estes dias com o presidente do PSL em Alagoas, Flávio Moreno. A conversa, oficialmente, foi para tratar da implantação de escolas cívico-militar em Maceió.

Flávio Moreno, confirmou via aplicativo, as ‘conversas’ com Rui Palmeira “É natural conversar com diferentes grupos políticos para trazer melhorias aos cidadãos da nossa terra. O prefeito apesar de estarmos em partidos diferentes é um quadro político e gestor em exercício de mandato. Nossas diferenças políticas momentâneas não podem ser maiores que o interesse da população pelo bem comum.”.

Mas a aproximação entre o PSL e Rui Palmeira pode extrapolar a área da educação. Há quem diga (ninguém negou até agora) que o PSL abriu as portas para Rui Palmeira liderar a formação de um novo grupo na capital, que resultaria no lançamento de um candidato pelo partido e na formação de um novo grupo que teria ainda DEM, Podemos e outras legendas.

Seria uma reviravolta? Seria. Ainda mais porque existe a possibilidade (e ela é real) de Alfredo Gaspar ir para o PSL. Mas essa é outra história.

Veja o que diz o presidente do PSL

“O PSL é um partido que cresce a cada dia. É natural conversar com diferentes grupos políticos para trazer melhorias aos cidadãos da nossa terra. O prefeito apesar de estarmos em partidos diferentes é um quadro político e gestor em exercício de mandato.

Nossas diferenças políticas momentâneas não podem ser maiores que o interesse da população pelo bem comum. Consigo separar muito bem isso.

A população quer soluções para os problemas existentes e se posso ajudar, ajudarei, independente de quem seja o gestor. Maceió, Alagoas e o Brasil estão acima de tudo.

Assumi o compromisso junto ao prefeito Rui Palmeira em interceder em Brasília para trazer as Escolas Cívico Militares para Maceió. Levarei essa demanda ao Ministério da Educação e ao Palácio do Planalto.

Estarei também com a Secretaria Municipal de Educação para juntos sanarmos as questões pendentes para a implantação das escolas cívico militares em nossa capital, apesar do prazo ter expirado para adesão. Esse é um compromisso que tenho com a população de Maceió e Alagoas, implantar essas escolas no maior número possível de unidades.

Já intercedi junto ao Governo Federal, Ministros, o Presidente Bolsonaro e a bancada de Deputados Federais do PSL por obras e projetos para Maceió e Alagoas, não será diferente agora. O Governo Federal investiu R$ 1 bilhão e 374 milhões nos municípios e toda Alagoas, em 2019, independente de quem seja o gestor.

Conversei com o prefeito sobre essa demanda da população e outros assuntos de interesse de Maceió e de Alagoas. Farei o que for necessário para o bem da cidade e não medirei esforços. Amo Maceió e Alagoas.”

Flávio Moreno

Presidente do PSL/AL



Compartilhe