Política

Deputada apela por suspensão do recesso e alerta sobre perigos da flexibilização desordenada do isolamento


Fonte: Ascom deputada Jó Pereira

30/06/2020 14h00

A deputada Jó Pereira apelou para que a Assembleia Legislativa de Alagoas suspenda o recesso parlamentar, previsto regimentalmente para começar amanhã, dia 1º de julho. Em pronunciamento nesta terça-feira (30), ela destacou que, há 100 dias, desde que Alagoas entrou em estado de emergência, a Casa de Tavares Bastos tem garantido voz ao povo, por meio de seus representantes.

“Muitas foram as indicações. Inúmeras foram as advertências e cobranças. Nunca se afastando do princípio democrático e sempre com o espírito de diálogo, buscando atingir o melhor resultado, e assim salvar vidas, diminuir os efeitos perversos da pandemia e enxergar futuro. Interromper esse canal de diálogo, mesmo que ele quase nunca venha sendo ouvido por quem tem que dialogar, é esquecer o que o povo espera de nós.  É calar vozes, aqui na Casa do povo”, alertou.

A deputada destacou as ações do presidente Marcelo Victor e da Mesa Diretora durante a crise, a exemplo da realização das sessões virtuais, e lembrou que, em uma dessas primeiras sessões, alertou sobre a necessidade de o governo estadual atuar com simultaneidade e multisetorialidade em suas decisões e ações, visando os interesses e necessidades dos alagoanos. Nesse mesmo período, ela sugeriu ainda a criação do Comitê da Primavera, para pensar e planejar a retomada econômica e social do Estado.

Jó também fez um paralelo entre a importância de uma educação de qualidade no combate ao vírus. “Somos iguais frente ao vírus, e uma simples atitude de não lavar a mão, não usar a máscara, de quem não teve educação para compreender melhor a situação e assimilar orientações, pode vitimar aquele que teve educação... Esse é o preço de não termos garantido educação para todos... Alagoas e o Brasil vivenciam o descaso pela ausência de planejamento e de uma real prioridade da educação. Somos todos iguais em um mundo de muita desigualdade”.

Flexibilização

Chamando a atenção para os possíveis efeitos de uma flexibilização desordenada do isolamento social, no momento mais crítico da pandemia, a deputada citou alguns trechos de documento escrito pelo professor e economista Cícero Péricles, no qual ele defende que, “sustentada pela renda pública e pela rede de financiamento, a economia alagoana, no período de março a junho, está funcionando, mas com deficiências e limites”.

“O isolamento necessário vai inquietando a todos, mas ele pode ter seus resultados prejudicados agora na pior das fases da pandemia, caso as pessoas passem a não respeitá-lo mais”, destacou a deputada, frisando que a interiorização da Covid-19, concomitantemente com a contaminação dos mais vulneráveis, em todos os recantos, é agora um grande risco: “A medida inicial considerou as decisões tomadas em alguns estados que tinham naquele momento situações mais críticas que a nossa, e agora, quando se fala em afrouxamento, alerto, estamos em um momento crucial da pandemia e não podemos esquecer os números crescentes do interior do Estado”.

Ainda conforme citado por Jó, Cícero Péricles defende que “a reabertura das atividades econômicas em pleno crescimento da curva epidêmica seria contraproducente, no sentido da saúde pública, segundo os infectologistas e epidemiologistas, porque aumentaria ainda mais a possibilidade do contágio, e, segundo, porque os consumidores e clientes estão assustados diante do noticiário. A volta dessas atividades deve ser um processo seguro, negociado com o Estado, prefeituras e orientado pelo setor da saúde pública”.

“Não podemos faltar com a nossa presença nesse período de tamanha decisão. Mas do que nunca devemos estar presentes e dialogando, debatendo, apontando riscos e soluções, fiscalizando e amparando inclusive o próprio governo em relação à ânsia de setores que, já cansados, e sem diálogo há muito tempo, só agora recentemente iniciado, com certeza ampliarão essa pressão”, completou a deputada.



Compartilhe