Política

Mais uma deputada do governo se “rebela” contra Renan Filho


Redação
Fonte: Jornal de Alagoas

30/06/2020 23h38

A base de apoio do governador Renan Filho na Assembleia Legislativa de Alagoas é proporcionalmente uma das maiores do país. Oficialmente apenas três dos 27 deputados estaduais alagoanos são de oposição – Bruno Toledo (PROS), Davi Maia (DEM) e Cabo Bebeto (PSL). O grupo de independentes, que costuma votar com o governo nas matérias mais importantes, é formado por mais quatro parlamentares do PP.

Já o grupo de “insatisfeitos”, ou seja, deputados que estão na base do governo mas passam a criticar publicamente o governador Renan Filho está crescendo. Nessa bancada, a deputada Jó Pereira (MDB) tem sido uma das vozes mais persistentes a apontar falhas e erros a cobrar ajustes do Palácio dos Palmares.

Agora, ao que parece, Jó Pereira ganhou um reforço importante nas críticas ao governo de Renan Filho.

A deputada Fátima Canuto (PRTB), considerada uma das mais leais ao Palácio dos Palmares, surpreendeu ao fez um verdadeiro desabafo durante a sessão extraordinária da Assembleia Legislativa de Alagoas (ALE/AL) nessa terça-feira (30).

Fática lamentou “a falta de respostas do governo do Estado e de suas respectivas secretarias aos apelos realizados pelos deputados da Casa”. A deputada fez ainda uma série de críticas ao governo do Estado de Alagoas, pontuando a paralisação de projetos importantes, como o Programa do Leite e o atraso nos pagamentos dos convênios de municípios com hospitais.

A deputada, que e mãe do prefeito de Pilar e presidente do PSC em Alagoas Renato Filho, fez ainda, durante a sessão um apelo ao governador do Estado Renan Filho (MDB) e ao secretário de saúde, Alexandre Ayres, para criação de um plano emergencial que contemple a demanda reprimida de outras doenças que, segunda ela, estão sendo deixadas de lado. “Cirurgias eletivas e de urgência para pacientes com câncer não têm acontecido”, reclamou.

“Daqui desta Casa saíram importantes indicações, apelos. Muito nos entristece quando quase nada foi ouvido e muito menos tentado para minimizar os efeitos deste momento por todos nós vividos. Não nos escutam e nem se quer nos retornam com algumas informações”, criticou a deputada, acrescentando que isso não traz prejuízo apenas ao parlamentar, mas ao Poder Legislativo e, principalmente, à sociedade.



Compartilhe