Política

Aliados de Luciano Barbosa são exonerados da Seduc


Fonte: Gazetaweb

30/09/2020 12h30

O governador Renan Filho (MDB) exonerou 48 funcionários comissionados lotados no gabinete da Vice-Governadoria e na Secretaria de Estado da Educação (Seduc), todos ligados ao vice-governador Luciano Barbosa (MDB). É mais uma medida tomada pelo chefe do Executivo em represália ao seu vice, que peitou a cúpula do partido e se lançou candidato a prefeito de Arapiraca.

Todas as exonerações, nenhuma delas a pedido, foram publicadas na edição dessa terça-feira (29), do Diário Oficial do Estado (DOE). 

Os alvos são assessores diretos, de imprensa, gerentes e superintendentes destes órgãos que foram nomeados diretamente pelo vice-governador. Na Vice-Governadoria, a estrutura administrativa organizada por Luciano Barbosa foi praticamente desmontada. Há expectativa de que Renan Filho faça o mesmo na Seduc.

No Diário Oficial, também foi publicada a exoneração da secretária interina de Educação, Laura Souza, que assumiu quando Barbosa foi descompatibilizado do cargo para, justamente, disputar as eleições. Laura assumiu a pasta este ano e já estava na bronca com os servidores, após dizer, em uma reunião virtual, que a evasão nas aulas remotas do Estado seria causada pela falta de engajamento dos professores.

No lugar dela, já foi nomeado o professor Fábio Guedes, que era presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas. O assessor executivo de Gestão Interna da Fapeal, Georginei Souza Neri, passa a responder pela entidade.

Desde o início do primeiro governo de Renan Filho, em 2015, a Secretaria de Educação esteve ligada ao vice-governador. Durante grande parte da gestão, Luciano esteve como secretário, sendo substituído por Laura Santos quando necessário.

Atualmente, Barbosa enfrenta uma batalha para seguir com a candidatura para Prefeitura de Arapiraca. O Diretório Estadual do MDB chegou a anular a convenção realizada pelo vice-governador. Como Barbosa não aceitou a anulação, a convenção do MDB Estadual terminou sem desfecho e a disputa foi judicializada.

A Comissão de Ética do MDB em Alagoas está analisando a questão. Há informações, ainda extraoficiais, de que o partido já abriu processo de expulsão de Luciano.



Compartilhe