Política

Números do Caged e compra de ventiladores clínicos geram debate na ALE


Redação
Fonte: ALE/AL

29/04/2021 14h40

O deputado Davi Maia (DEM) criticou nesta quinta-feira (29), no plenário da Casa, a postagem que o secretário estadual da Fazenda, George Santoro, fez em suas redes sociais no último dia 13, em que republicou uma mensagem do governador Renan Filho dizendo que o Estado de Alagoas teve a menor perda de ocupação de emprego na pandemia e que o pacote econômico de socorro às empresas teve expressivo investimento.

"Isso só demonstra que todo o pacote de resgate econômico propagado pelo Governo do Estado é mais uma das mentiras contadas por Renan Filho. É um governo que vive de redes sociais”, afirmou Maia.

O líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado Silvio Camelo (PV), rebateu as críticas fornecendo alguns dados econômicos. “Sobre o Caged, é de conhecimento de todos que existe em Alagoas o ciclo da cana-de-açúcar, um período sazonal onde temos contratações e demissões, e que influência diretamente na questão dos empregos formais. Outra questão é o auxílio emergencial, em que muitas pessoas não estão querendo assinar suas carteiras de trabalho para não perder o benefício”, afirmou.

Ventiladores Clínicos e Canabidiol

Ainda em seu pronunciamento, o deputado Davi Maia informou que o senador Eduardo Girão (PODEMOS/CE) apresentou requerimento à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), pedindo a investigação das ações do governo e do uso de verbas federais na pandemia da Covid-19. Solicitou também que seja convocado Carlos Eduardo Gabas, ex-secretário Executivo do Consórcio Nordeste, para prestar esclarecimentos sobre a aquisição de 300 ventiladores clínicos de UTI junto à empresa Hempcare, que seriam distribuídos para todos os estados da região.

Maia informou que a empresa Hempcare, acusada de fraudar a compra dos equipamentos, vende produtos derivados da maconha. “Ontem o governador assinou mais uma carta, junto ao Consórcio. Será que alguém compraria algo num consórcio que não cumpriu com o compromisso firmado anteriormente? Essa empresa foi aberta três meses antes do consórcio comprar os respiradores e depois foi fechada”, afirmou.

Em aparte, Silvio Camelo destacou matéria publicada no jornal O Estado de São Paulo, noticiando que a Polícia Federal vem realizando um trabalho de fiscalização nos recursos gastos durante a pandemia em 13 estados brasileiros, e Alagoas não é alvo dessas investigações. “É bom deixar claro que quem comprou os respiradores não foi o Governo do Estado de Alagoas, foi o Consórcio Nordeste”, disse.

O presidente da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa, deputado Léo Loureiro (PP), disse não conhecer a empresa Hempcare, mas acredita que ela seja revendedora do remédio canabidiol, usado por grande parte de pessoas com autismo e com epilepsia. “Já existe importação, via Ministério da Saúde, desse produto, que é de fundamental importância para muitas pessoas com deficiências ou com comorbidades. É preciso deixar claro que quando usamos o temo 'maconha' para tratar desse medicamento, acabamos atrapalhando a importação”, destacou.



Compartilhe