Política

Deputados alagoanos criticam inclusão de presos como prioridade na imunização


Redação
Fonte: Jornal de Alagoas

04/05/2021 13h00

Durante sessão plenária realizada na manhã desta terça-feira (4), na Assembleia Legislativa de Alagoas (ALE), deputados estaduais reagiram contra uma das determinações do Ministério da Saúde, presente no Plano Nacional de Imunização, que inclui presidiários como grupo prioritário na vacinação contra a Covid-19.

De acordo com a deputada Jó Pereira (MDB),  apesar de os presidiários constarem na lista de prioridades estabelecidas pelo Programa Nacional de Imunização (PNI), deveria ser adotado como critério para preferências na vacinação o risco de contágio e a possibilidade de aglomerações. A deputada também defende que todos os trabalhadores dependentes do transporte público estejam na frente para receber as doses do imunizante.

“Precisamos respeitar os trabalhadores e iniciar a vacinação pelo mesmo critério de quem está no sistema prisional, que é o risco de aglomeração em ambientes fechados e minúsculos”, ressaltou.

Já o deputado Davi Maia (DEM) ressaltou que, pelo PNI, a categoria dos detentos estariam na 17ª lista de prioridades. Ele acusou o Governo do Estado de ‘furar a fila’ da vacinação quando insere os custodiados.

“É verdade que eles estão no PNI, mas são o 17º na lista de prioridades. Ainda temos, antes deles, uma relação de pessoas que precisam ser vacinadas e não é justo com essas pessoas vacinar antes quem está no Sistema Prisional. Agora parece uma nova modalidade de fura-fila: se quiser ser vacinado é só cometer um crime e ir para o sistema carcerário”, declarou o deputado em aparte ao discurso de Jó Pereira.

O deputado Francisco Tenório (PMN) declarou ser terminantemente contra a vacinação dos presos antes dos trabalhadores. Segundo o parlamentar,  mesmo com a existência do PNI, o estado pode indicar prioridades. “Indicar os presos eu sou contra, até mesmo dentro do Plano. Primeiro porque eles podem ser contaminados por meio de visitas, mas estão reclusos... Quantas pessoas internadas em hospitais por necessidades outras e não cometeram crime nenhum não deviam estar na frente”, disse.

O deputado Cabo Bebeto (PTC), também falou sobre a imunização dos reeducandos e disse que a determinação não agradou. “Como sempre mostro minha independência e mesmo defendendo o Governo Federal sei apontar quando as coisas não estão certas, e não concordo em escolher vacinar os presos antes dos cidadãos de bem”.

Léo Loureiro (PP), Davi Davino Filho (PP), Cibele Moura (PSDB), Ronaldo Medeiros (MDB) e Antônio Albuquerque (PTB) também contribuíram ao discurso da deputada Jó Pereira, todos contrários à decisão do governo em priorizar os detentos.

 



Compartilhe