Pop & Arte

Festa das Águas ganha versão online em 2021


Redação
Fonte: Assessoria

08/02/2021 18h55

Em 2007, quando o percussionista Wilson Santos e o antropólogo e produtor cultural Christiano Barros, em conversa nas dependências do Centro de Belas Artes de Alagoas – Cenarte, situado na rua Pedro Monteiro, 108, decidem realizar atividade cultural no dia 8 de dezembro de 2007, na orla da Pajuçara, surge o evento que resultaria na Festa das Águas, ainda sem nome, à época.

Em 2009, a ação é ampliada e ganha a adesão de diversos grupos, que passam a se envolver e contribuir na organização da festividade repleta de simbologia, identidade, cultura e história. Em 2010, recebe o nome de Festa das Águas. Como uma raiz que se finca, fortalece e dá frutos, hoje é o principal festival afro percussivo de Alagoas.

“A primeira manifestação aconteceu quando decidimos levar alguns grupos percussivos à praia no Dia de Iemanjá para fazer uma batucada acampada em homenagem a ela e a Nossa Senhora da Conceição. Levamos três grupos e fizemos uma roda de batuque. Isso se repetiu anos depois com o número de grupos sempre crescendo, chegou a hora de dar nome ao movimento e daí surge uma reflexão sobre a ação, eu levantei e disse: "a cidade é cercada de água, podemos colocar o nome de Festa das Águas e assim ficou”, contou o produtor artístico, percussionista, professor e coordenador da Orquestra de Tambores de Alagoas, Wilson Santos.

Foram realizadas 11 edições presenciais. Como a festa não pôde acontecer na data que se tornou tradição, no dia 8 de dezembro, em 2020, por causa da pandemia, veio a ideia de adaptar seu formato à nova realidade. Com a aprovação da Lei Aldir Blanc de Apoio à Cultura, o projeto da festa foi inscrito no edital Dinho Oliveira, da Secretaria de Cultura do Estado de Alagoas (Secult) e selecionado.

A partir de então, a produção do evento entrou em ação para formatar, planejar e executar as atividades. Ao todo, 15 grupos afro percussivos, a maioria ligada à casas de axé. Os integrantes contaram um pouco de sua história e apresentaram sua musicalidade nas filmagens. Os grupos se dividiram em cinco dias de gravações, cumprindo o protocolo sanitário, no palco centenário do Teatro Deodoro, com o apoio da Diretoria de Teatros do Estado de Alagoas (Diteal).

 

Atualmente, a equipe de edição trabalha na finalização dos clipes e a produção segue para elaborar as atividades do dia 21. Os vídeos serão publicados nas redes sociais da Festa das Águas e você já pode acompanhar um histórico e informações sobre o evento pelo Facebook e Instagram.



Compartilhe