Pop & Arte

Famosos são pagos por Bolsonaro para divulgar atendimento precoce


Redação
Fonte: Quem

31/03/2021 17h55

A ex-BBB Flávia Viana e os influenciadores João Zoli, Jéssika Taynara e Pam Puertas teriam recebido dinheiro do governo do presidente Jair Bolsonaro para divulgar a busca por "atendimento precoce" contra a Covid-19 nas redes sociais. De acordo com a reportagem da Agência Pública, 23 mil reais dos cofres públicos foram destinados aos cachês dos famosos para realizar a campanha em janeiro deste ano.

Conforme os documentos obtidos pela reportagem, Flávia, que participou do BBB7, teria recebido 11,5 mil reais.

À Quem, Flávia explicou a decisão de aceitar participar da campanha e afirmou que não acredita no tratamento precoce. "Quando minha equipe foi procurada para fazer a publicidade, aceitamos, pois era para alertar as pessoas dos cuidados, lavar as mãos, máscaras, álcool em gel, ficarem atentas aos sintomas. Meu intuito foi de cuidado mesmo, sabe? Apenas para informar. E sobre o dinheiro, apesar de já fazer meses, ainda não recebi. Assim que for recebido, o dinheiro será doado para ajudar as pessoas afetadas pelo Covid-19", afirmou a ex-BBB.

"Minha intenção sempre foi ajudar, jamais faria algo para prejudicar as pessoas, já que são essas pessoas que me dão visibilidade e trabalho. Se hoje eu consigo realizar tantas coisas é porque tenho o carinho de tanta gente e jamais me envolveria em política. Nunca fiz isso e não é o caso. Não acredito em tratamento precoce, o post não é sobre isso. Sei que não existe e é perigosíssimo, visto o caos que está nosso país. Eu oro muito para que tenhamos logo vacina para todos e que os governantes tenham mais respeito pela população que está à mercê dessa pandemia. Oro para que a vida volte aos poucos ao 'normal' se é que é possível já que tantas vidas foram levadas por essa terrível doença", acrescentou ela, via mensagem no Whatsapp.

João Zoli também confirmou ter feito uma publicação para o Ministério da Saúde, mas negou o recebimento de cachê de 23 mil reais - a reportagem indicou que o valor se tratava do total investido nos cachês de influenciadores. "Depois pergunta para eles qual conta caiu 23 mil reais... Na minha não foi não! Fiz um post para o Ministério da Saúde, sim. Alertando as pessoas de ficarem em casa", afirmou ele à Quem.

 



Compartilhe