Rural

Soja será mais lucrativa em 2021


Fonte: Agrolink

16/11/2020 11h03

Dos três fatores fundamentais que compõe o preço da soja – Bolsa de Chicago (CBOT), prêmios e câmbio – os três se manterão elevados daqui para frente, aponta a TF Agroeconômica. “A mistura destes três fatores nos fazem prever a continuação dos preços elevados durante o ano de 2021, embora, eventualmente não tão altos quanto o final de 2020, mas muito mais lucrativos, porque os agricultores brasileiros terão comercializado toda a safra a preços que permitem lucros superiores a 55% em todos os estados”, aponta a equipe de analistas.

BOLSA DE CHICAGO

“A eleição de Biden para a presidência dos EUA criou um melhor ambiente de negócios e ele deve retirar as tarifas impostas por Trump sobre as compras de soja americana pela China. Com isto, a demanda chinesa sobre soja americana deverá se manter pelo menos inalterada em relação a 2020, mantendo as cotações na CBOT em níveis acima de $ 10,50/bushel”, ressalta a TF.

PRÊMIOS

De acordo com os analistas de mercado da TF, os prêmios da soja brasileira (embora tenham caído um pouco nesta sexta-feira) ainda se mantém historicamente elevados: “Além disso, deve-se saber que, de janeiro (fevereiro neste ano) até julho o Brasil reina praticamente sozinho no fornecimento de soja à China e à Europa.”

DÓLAR

Na visão dos especialistas, o Dólar é que merece um pouco mais de atenção: “A eleição de Biden criou um melhor ambiente de negócios internacionais, o que significa que o Dólar deverá ter movimentos menos erráticos e mais equilibrados. O Brasil tem o maior estoque dos últimos 5 anos da dívida pública para ser negociada e precisará subir as taxas de juros para poder colocar títulos no mercado. Como aos atuais 2% será difícil isto acontecer espera-se que o Ministério da Fazenda os eleve para algo entre 4,5% e 5,0%. Isto deverá irrigar o Brasil de dólares, empurrando a taxa de câmbio para o segundo semestre para menos de R$ 5,00, salvo algum acontecimento fortuito, na espera nacional ou internacional, ainda não previsível”.



Compartilhe